• Ize Chi Kiohaan

A beleza feminina incomoda?

Cá estou, em meu primeiro post do ano, trazendo uma questão um tanto polêmica: a beleza dos personagens fictícios na literatura, em especial das mulheres, e até que ponto a descrição feita não incomoda o leitor. Vou usar como exemplo “A Herdeira do Mar”, porque é o único que tenho real propriedade para falar, mas tenho certeza que vocês vão identificar outras obras que já leram por aí.


Uma coisa que notei é que houve muitas leitoras incomodadas com a descrição da Cordélia, por ela ser descrita como “linda”e “perfeita”. Mesmo dentre as leitoras que amaram o livro (além das que leram e não gostaram), parece haver um certo “ressentimento” pela descrição.


De alguma forma, nos acostumamos a ler um determinado clichè na literatura: a garota “sem sal”, ou sem atrativos, que consegue conquistar o bonitão como par (exemplo básico: Bella Swan e Edward Cullen, de “Crepúsculo”). Reparem que ninguém criticou o fato de o Morgan ser lindo de morrer, mas somente se incomodaram com o fato de a Cordélia também ser descrita assim rs


E há, também, um segundo clichè: de que a beleza de uma mulher está correlacionada à sua personalidade. Quantos livros, filmes e séries não vemos por aí, onde a “vilã” é sempre a patricinha considerada a mais bonita, enquanto a “heroína” é a garota que se acha feia? E até que ponto já não fazemos um pré-julgamento mental de uma personagem feminina pelo simples fato de ela ser descrita como “linda”?


Segredinho: uma protagonista descrita como sem atrativos (ou que se considera assim, por baixo autoestima) é proposital, gente; um truque de mercado ensinado em diversos cursos de escritores. A ideia é que cada leitora – mulheres “normais” – possa se identificar com ela, e viver aquele “sonho”de menina (ter seu príncipe encantado) através da leitura do livro.


Eu não apenas não quis seguir essa fórmula em “A Herdeira do Mar”, como (e principalmente) eu estou descrevendo dois serem mitológicos (uma sereia e um tritão), incluindo justificativa de campo sobrenatural (magia) para a espécie ser tão bela e atrativa aos seres humanos. Não faria o absoluto menor sentido se eu descrevesse uma sereia como sendo uma garota com problemas de autoestima, ou que não fosse vista como bela perante os humanos.


Sinto que isso incomoda algumas leitoras, enquanto a descrição do protagonista masculino (Morgan) não as afeta assim. A intenção desse post não foi me “justificar”, mas apenas trazer um tema a ser pensado pelas minhas leitoras.


Termino o post com a seguinte indagação: se você foi uma das leitoras que se incomodou com a descrição da protagonista, se pergunte “por que?”. Analise o motivo de a aparência de uma personagem fictícia e, principalmente, em um contexto de fantasia (um ser mitológico), de alguma forma, te incomodar. Abra sua mente, e pode se surpreender ;)